brincar à nutrição

Começo a ficar verdadeiramente assustado com a aplicação do achismo em temas científicos. Que toda a gente acha ou opina sobre todos os temas é certo e espetável nos dias de hoje, através da Internet todos acabam por expressá-la, seja em comentários, fóruns, blogs, ou vídeos no YouTube. O problema é a quantidade de informação “errada” que acaba por se multiplicar e por vezes até passa para a TV ou jornais.

No que toca à nutrição o achismo pode ser problemático e até perigoso ou negligente. A nutrição como ciência é bastante recente, algumas dezenas de anos de estudos deixam pouca margem para tirar conclusões, principalmente numa disciplina onde tantas variáveis interagem entre si. Juntando a isso alguns estudos “financiados” e outros cujas conclusões não são devidamente suportadas pelos dados: navegamos em mares tumultuosos.

Chegámos a um ponto onde todo o personal trainer dá conselhos infalíveis, onde as revistas e jornais vomitam conteúdo e até a minha vizinha do lado deve cortar nos hidratos de carbono à noite (porque sim). Os americanos chamam-lhe bro science (não só no que toca à nutrição mas também ao exercício físico), por cá penso que ainda não existe nenhuma designação, alguma ideia?

Por fala em pensar, e sendo este o intuito principal deste post, vou começar uma série de artigos, ou talvez até um blog, que relaciona ciência, alimentação e saúde. Prometo desde já não brincar à nutrição.

2 comentários

  1. Responder
    Padilha 16/05/2014

    Boa ideia! Quero ver o que sabes. Rabicho.

  2. Responder
    Rita Duarte 20/05/2014

    Fico à espera!

Responder a Padilha Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>